Equipa

.

.

  • Ana Sofia Monteiro – Eventos, Comunidade
  • Ana Fortin – Eventos, Comunidade
  • Clara Rolim – Eventos, Comunidade
  • Diana Quintela – Fotografia e Videografia
  • Diogo Veiga – Conteúdos
  • Eva Anjos – Fotografia, Videografia, Design Gráfico, Redes Sociais
  • Frederico Magalhães – Conteúdos, Redes Sociais
  • Joanna Hecker – Coordenação (Eventos e Divulgação)
  • Jorge Encantado – Coordenação Geral, Conteúdos
  • Laura Carvalho – Coordenação (Comunidade), Conteúdos, Eventos
  • Marta Salavisa – Coordenação Geral e Comunicação, Newsletter
  • Pedro Mendes – Coordenação (Profissionais de Saúde Mental)
  • Pedro Teixeira (fundador) – Coordenação Geral, Conteúdos, Parcerias
  • Susana Ullrich – Eventos, Comunidade

Visão

Uma sociedade informada e esclarecida sobre o tema das substâncias psicadélicas; em que a sua utilização ocorre em segurança, em legalidade, sem discriminação, com o apoio da melhor evidência científica; e no respeito pelas tradições ancestrais que rodeiam o uso de plantas e fungos psicoativos, considerando a preservação de recursos naturais. .

Missão

Disponibilizar informação, opinião e recursos diversos sobre o tema dos psicadélicos, numa plataforma digital tendencialmente em português; e promover eventos destinados a promover a reflexão e a discussão sobre a melhor integração destas ferramentas na sociedade portuguesa. Orientam-nos os valores da segurança e proteção da saúde, respeito pela legalidade e pela ciência, e transparência.

Justificação

O movimento do “renascimento psicadélico”, centrado sobretudo na ciência, tem feito aumentar progressivamente o interesse nestas substâncias por parte do público em geral e de alguns setores profissionais em particular. Também têm crescido a cobertura mediática, cada vez mais regular, a procura por produtos e serviços, e a simples utilização de substâncias e experiências mediadas por psicadélicos. Portugal não é excepção nesta tendência internacional.

A crescente evidência científica torna hoje relativamente consensual o elevado potencial médico e terapêutico de várias substâncias psicadélicas, algumas delas de uso milenar entre a espécie humana. É também amplamente aceite o seu potencial efeito na promoção do autoconhecimento e transformação pessoal, bem como uma compreensão cada vez mais completa sobre as condições em que estes usos garantem maior segurança.

Não obstante serem substâncias legalmente controladas, o acesso a psicadélicos é hoje relativamente fácil, nomeadamente através da Internet. Importa também notar que a história e evolução do uso da generalidade das substâncias psicoativas permite antecipar que o consumo de psicadélicos irá continuar, independentemente do seu enquadramento legal. Novamente, é de esperar que Portugal se inscreva nesta tendência. 

Assim, o acesso a informação válida e rigorosa sobre psicadélicos torna-se uma necessidade da maior importância. Acreditamos que é apenas pela sua partilha e disseminação entre o público português, em língua portuguesa, que se torna possível contribuir de forma relevante para limitar os riscos envolvidos e o impacto do estigma, dos mitos e de todos os erros que se cometem na apreciação destas substâncias e na avaliação dos seus efeitos.

Objetivos

  • Contribuir para a literacia sobre o potencial terapêutico e transformador dos psicadélicos
  • Motivar especialistas para trabalhar neste contexto e informar acerca de boas práticas
  • Contribuir para a coesão da comunidade psicadélica em Portugal
  • Informar o público acerca do uso intencional e seguro de psicadélicos
  • Normalizar a discussão pública e reduzir o estigma, o preconceito e a discriminação
  • Disseminar a investigação científica e outros avanços na área

Na prática, vamos estar atentos ao que vale a pena saber no panorama psicadélico nacional e internacional sobre substâncias conhecidas como os psicadélicos clássicos – o LSD, a psilocibina / cogumelos mágicos, a ayahuasca (ou apenas o DMT) e a mescalina – e outras substâncias com efeito psicadélico ou empatogénico como a ketamina, o MDMA (Ecstasy), o 5-MeO-DMT, o 2C-B e a ibogaína, pois têm também potencial terapêutico. No essencial, não distinguiremos as substâncias “naturais” das sintéticas ou semi-sintéticas.

Nota Editorial

1. O website SafeJourney não é um órgão de comunicação social nem um projeto jornalístico. Embora defendamos a transparência, não somos neutros. A nossa visão está comprometida com uma orientação que valoriza as substâncias psicadélicas pelo seu potencial benefício para a sociedade, e no reconhecimento de que existem também riscos, como aliás acontece em praticamente todas as atividades humanas.
2. Posicionamo-nos contra a tendência proibicionista que ainda prevalece, um pouco por todo o mundo, em matéria de legislação sobre substâncias psicoativas. Esta é uma tendência a que Portugal tem, em parte, escapado nas últimas décadas, e que está em franca transformação noutras geografias mundiais, nomeadamente na América do Norte em que diversas iniciativas de regulação e descriminalização estão atualmente em marcha.
3. Sendo a nossa visão provavelmente partilhada por muitos membros da comunidade psicadélica, reconhecemos que não será universal e que terá opositores. Na escolha editorial dos artigos e temas a incluir neste website procuraremos dar espaço a uma pluralidade de vozes e manter vivo o contraditório.
4. A integração dos psicadélicos na sociedade vai requerer muitos espaços e momentos de discussão e reflexão que, no seu conjunto, beneficiarão da diversidade de pensamento. Contribuir ativamente para esta discussão, com informação credível e atualizada, e dando voz à diversidade de opiniões sobre os temas em análise, constituem a nossa principal missão.
5. Considerando a importância da informação de base científica na sociedade atual, bem como o relativo consenso cultural sobre o valor da saúde, física e mental, do indivíduo (p.ex. através da medicina e psicoterapia) e da população (p.ex. na defesa da saúde pública) daremos prioridade a estas fontes de informação.
6. Reconhecemos que vivemos num contexto criado pela nossa História, antiga e mais recente, e construído permanentemente por traços sócio-culturais (antropológicos, artísticos, económicos, políticos, religiosos, etc.) que não é possível nem desejável ignorar. Procuraremos não o fazer.
7. Habitamos um planeta e vivemos em ambientes físicos que influenciam fortemente as nossas escolhas, condicionando estes a nossa subsistência e sobrevivência, bem como a de todos os outros seres vivos. Assim, reflexões sobre ecologia, sustentabilidade e outros temas ambientais (por relação com os psicadélicos) serão também consideradas, uma característica aliás bem presente no “movimento psicadélico” desde a sua origem no século XX.


Aviso

Todas as substâncias psicoativas comportam riscos, e os seus potenciais benefícios não se aplicam a todas as pessoas, a todas as patologias, ou a todos os contextos de utilização. Dependendo das normas aplicáveis em cada jurisdição, o uso e o consumo de determinadas substâncias pode ou não ser permitido. O projeto SafeJourney não promove ativamente o uso ou o consumo de plantas, preparações e substâncias que seja contrário à lei portuguesa.


AGRADECIMENTOS ESPECIAIS:

  • Alexandre Antunes – Programação e manutenção do website
  • Funnyhow – Conceito gráfico do website
  • José Filipe Rebelo Pinto – Espaço 8 Marvila
  • João Taborda da Gama – Consultoria
  • Bernando Catalão, Carlos Ferreira, Daniel Pereira, Filipa Gambino, Filipa Teixeira, Joana Martins, João da Fonseca, José Vítor Malheiros, Lukas Schreier, Maria Carvalho, Maria Macedo, Murilo Santos, Sofia Teixeira, Vítor Reis.

Contacto

Email geral: geral@safejourney.pt
Email para assuntos sobre Diretório de Profissionais: diretorio@safejourney.pt
Email para assuntos sobre Membros e Subscrições: membros@safejourney.pt

Redes Sociais